AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

relações internacionais

O Brasil e a Itália são considerados economias complementares, e em 2013, registraram US$ 11 bilhões em intercâmbio comercial − o país europeu é o oitavo fornecedor brasileiro, atrás apenas da Alemanha na União Europeia. Hoje, há mais de 840 empresas italianas instaladas no Brasil, que contam com 500 mil trabalhadores. As informações foram abordadas pelo conselheiro econômico e comercial da embaixada da Itália no Brasil, Cristiano Musillo, durante o Encontro de Negócios Itália X Rio Grande do Sul, realizado na FIERGS nesta terça-feira (15).

Em sua primeira visita ao Rio Grande do Sul, a embaixadora da Áustria no Brasil, Mariane Feldmann, esteve na FIERGS para conhecer um pouco mais sobre a realidade das indústrias no Estado. Ela informou que, nos últimos três anos, o país europeu foi o principal destino de investimentos de empresas brasileiras − são cerca de 60 instaladas por lá. "Nossos maiores diferenciais são a localização estratégica e o baixo custo de operação", informou.

O cônsul-geral da Suíça, Claudio Leoncavallo, destacou, na FIERGS, nesta terça-feira (28), que muito além de fabricar chocolates, relógios e canivetes, a economia da Suíça é conhecida por suas indústrias sustentáveis e de tecnologias limpas. "Buscamos o Brasil e também o Rio Grande do Sul como parceiros nessas áreas", informou Leoncavallo. O presidente da FIERGS, Heitor José Müller, declarou que "o Estado é o segundo mais industrializado do País e com maior diversificação de setores industriais". E lembrou um dos maiores desafios do Brasil: a educação de sua população.

O embaixador da Grécia no Brasil, Dimitri Alexandrakis, esteve na FIERGS para troca de informações entre o Rio Grande do Sul, o Brasil e a nação europeia. "Realizamos negócios com países mais distantes do que o Brasil, nossos preços são competitivos, queremos estreitar essas relações", comentou Alexandrakis, e acrescentou que a Grécia é muito mais do que turismo.

Uma comitiva da província de Karov, do Quênia, esteve na FIERGS nesta segunda-feira, para tratar de oportunidades de negócios e investimentos com o Rio Grande do Sul. O objetivo do grupo é conhecer o Estado e estabelecer relações comerciais nas áreas de agricultura, construção civil, metal-mecânica e turismo. Outro interesse é adquirir conhecimento na área de pequenas centrais hidrelétricas. Segundo o governador de Narok, Samuel K.

O Brasil entrou para a lista do governo norte-americano como País estratégico para uma aproximação econômica. A informação foi dada pela embaixadora dos Estados Unidos, Liliana Ayalde, durante sua visita ao presidente da FIERGS, Heitor José Müller, nesta sexta-feira (22). Segundo ela, também há uma orientação para ampliar o relacionamento com Estados brasileiros fora do eixo Rio de Janeiro-São Paulo. Nesse novo foco, o Rio Grande do Sul passa a ser um potencial parceiro, tanto para trocas comerciais quanto para investimentos.

O embaixador da Croácia no Brasil, Drago Stambuk, esteve na sede da FIERGS nesta terça-feira (19) para tratar com o presidente da entidade, Heitor José Müller, sobre oportunidades de ampliar as relações comerciais com o Estado. Em 2012, a Croácia foi o 108º destino das exportações e o 85º das importações estaduais. Entre os setores destacados pelo embaixador estão mineração, indústria da defesa e militar, turismo e, principalmente, o da construção naval e de embarcações, com o desenvolvimento de navios sob demanda, de acordo com as necessidades do comprador.

As constantes e cada vez mais restritivas barreiras enfrentadas pelos exportadores brasileiros em suas relações de comércio com a Argentina formam um cenário de insustentável perda financeira e crescente tensão política. Os vários aspectos dessa realidade serão analisados por renomados especialistas dos dois países no seminário "A realidade econômica e as perspectivas comerciais da relação Brasil-Argentina".

A Itália terminou, em 2012, como o 11º destino das exportações brasileiras, em um total de US$ 4,58 bilhões, redução de 16% em relação ao ano anterior. Ao mesmo tempo, o país europeu foi o oitavo colocado na origem das importações, com US$ 6,2 bilhões.

Um encontro de negócios entre o Uruguai e o Brasil reuniu, nesta quarta-feira (25), em Porto Alegre, empresários dos dois países para ampliação das relações comerciais em logística e distribuição regional, fornecedores de serviços compartilhados e soluções em Tecnologia da Informação e Comunicação.